Salt

Os marmanjos de plantão podem se animar em assistir Salt. O filme traz Angelina Jolie de volta ao papel de heróina de filmes de ação. A atriz interpreta Evelyn Salt, uma agente espiã americana da CIA. Logo no início do filme, vemos Salt ser acusada de ser uma espiã russa inflitrada nos Estados Unidos com intenções nada amistosas. A partir dai, começa a corrida da personagem (literalmente) em uma fuga frenética. O espectador do filme também embarca no ritmo frenético do filme em busca da verdade sobre quem realmente é Evelyn Salt. Ao longo da trama, ocorrem reviravoltas e o público pode alternar momentos em que acredita que Jolie é inocente ou culpada de sua acusação.

Salt surpreende pela primorosa direção de Kurt Wimmer. O ritmo das cenas é muito bem articulado, criando um clima de tensão ideal para filmes de ação. O filme também conta com o telento de Angelina Jolie que nos traz uma performance convincente e vigorosa. Apesar de muito magra, a atriz mostra fôlego e preparo físico em todas as cenas de ação. Outro ponto alto do filme é o próprio roteiro, que embora trate de um tema já desgastado sobre espionagens entre Estados Unidos e União Soviética, pode ser considerado um bom roteiro de ação, com idéias amarradas e reviravoltas surpreendentes ao longo da história. O filme também aposta no drama ao falar sobre o relacionamento de Salt com seu marido e outros personagens de seu passado. Jolie segura as pontas, dando conta das cenas dramáticas sem perder  o foco do filme.

Os problemas de Salt se resumem aos problemas que ocorrem na maiora dos trailers de ação. Algumas cenas de luta exageradas e forçadas, os tão famosos clichês , como por exemplo algumas cenas em que a esquálida Angelina Jolie consegue derrotar inimigos com o dobro de seu tamanho, estando também em desvantagem de armas.

O final surpreende, porém não eleva Salt a uma categoria além da maioria dos bons filmes de ação. Sem apresentar nenhuma grande inovação, o filme agrada ao público com boas atuações, boa direção, roteiro e claro muitos tiros e explosões.

Uma sequência para o filme está sendo cogitada pelos produtores, porém o diretor Phillip Noyce já descartou a possibilidade de participar da sequência.  Decisão acertada, já que o filme esgota seu interesse com seu final bem amarrado, dispensando uma continuação que corre grande risco de ser um grande erro que poderá prejudicar a imagem do filme original.

 

 

 

 

 

 

Nota: 7.5

Confira o trailer :