O Hobbit- A Batalha dos Cinco Exércitos

Finalmente chegou ao cinema o capítulo decisivo da trilogia O Hobbit, trazendo frenesi aos fãs de Tolkien e seu universo fantástico. Órfãos desde o último longa da trilogia O Senhor dos Anéis, os fãs do escritor de fantasia fizeram dos dois primeiros filmes da trilogia O Hobbit um tremendo sucesso de bilheteria internacional. Ao contrário de seu predecessor, a história de O Hobbit que foi concentrada em apenas um livro rendeu três longas ao invés de um, o que gerou muita polêmica. Os fãs mais fiéis adoraram a idéia de três ao invés de uma oportunidade de ver seus personagens favoritos lutando pela Terra Média, porém muitos acharam que isso prejudicou o ritmo da história, deixando-a muito alongada. Polêmicas a parte, os dois primeiros filmes (Uma Jornada inesperada e A Desolação de Smaug) garantiram bilheterias impressionantes e agradaram a crítica em geral. Agora no terceiro filme da saga, A Batalha dos cinco exércitos) temos o desfecho da história.

O Hobbit

O filme começa com uma espécie de epílogo do filme anterior, mostrando o ataque do dragão Smaug a cidade do lago e a luta de seus habitantes para escapar. Com a morte de Smaug pelas mãos de Bard (Luke Evans), o grupo pode finalmente partir para Erebor e Thorin e o grupo de anões pode reclamar a montanha de seus ancestrais e seu tesouro. O terceiro episódio gira muito em torno de Thorin (Richard Armitage, que nos brinda com uma ótima performance), mostrando o mix de sentimentos do rei dos anões com relação a Erebor, após entrar na montanha, ele é possuído pela “doença do dragão” que afetou seu avô e o torna obcecado com o tesouro e desconfiado de qualquer pessoa que se aproxime. Mas os problemas do grupo ainda são muito maiores, com a libertação de Erebor das garras do dragão, toda Terra Média ao saber da notícia decide marchar em sua direção para reclamar sua parte no tesouro, a partir dai se inicia a grande batalha dos cinco exércitos da Terra Média.

O Hobbit cena

A parte técnica da produção mantém a excelência dos dois primeiros longas, trazendo as lindas paisagens da Nova Zelândia, caracterizações, figurino e trilhas sonoras dignas de Oscars. As cenas de lutas são muito bem feitas e garantem bastante ação ao filme. As interpretações de Cate Blanchett como sempre é um deleite ao expectador, apesar de sua participação ser bastante pequena neste terceiro longa. Outras interpretações merecem destaque, além de Ian McKellen no papel de Gandalf que sempre nos brinda com uma ótima performance, Richard Armitage surpreende e conquista com sua interpretação de Thorin. A história é bem conduzida e o desfecho é muito bem amarrado e até um pouco surpreendente, porém o grande defeito do filme talvez seja o fato de ter sido muito alongado. Algumas cenas de luta são demasiado longas e algumas situações também são super desenvolvidas, dando muito destaque para personagens e cenas um tanto desnecessárias. De forma geral, A Batalha dos cinco exércitos consegue cumprir seu papel, trazendo um filme bom, capaz de trazer nostalgia aos fãs de Tolkien e também conquistar novos públicos, além de conseguir fazer a ligação de continuidade perfeita com  A Sociedade do Anel.

Nota: 8.0

Confira o trailer: